Publicado em: 12 de setembro de 2019

Olá! Tudo bem por aí? Eu espero que sim!

 

Alguma vez você já se sentiu pronto e preparado pra uma vaga de emprego, aquela vaga que tinha tudo a ver com você, mas acabou rodando na hora da entrevista?

Bom, eu garanto que não foi só contigo que isso aconteceu. Na verdade, é muito comum.

O que acontece é que muitos jovens, ou até pessoas que estão há mais tempo no mercado, não conhecem algumas técnicas que foram criadas pensando em como fazer você se destacar em uma entrevista de emprego.

 

Quer saber quais são essas técnicas? Continua lendo aí!

Ou também, veja nosso treinamento gratuito sobre entrevistas e currículo!

 

Esse texto é pra ajudar que isso aqui não aconteça na sua entrevista.

 

Preparação pra Entrevista de Emprego

A primeira coisa a se entender é que: é preciso se preparar, e muito, para uma entrevista. Esse será um momento decisivo para você conquistar sua vaga e deixar o futuro nas mãos da sorte ou do improviso não é uma boa ideia. Claro, muitas vezes improvisar é bom e necessário. Mas dentro de um contexto e de um momento específico. A verdade é que você precisa ir pra sua entrevista com um arsenal de argumentos e formas de mostrar seu potencial  e usá-los conforme aparecer a oportunidade.

Então, nesse texto, a principal regra será: se planejar para a entrevista. E vou mostrar pra vocês como fazer isso.

 

1º parte: autoconhecimento.

Mostrar quem você é:

A entrevista é o seu momento de mostrar ao recrutador quem você é, quais são seus diferenciais e porque você merece trabalhar naquela empresa. Por isso, é preciso pensar sobre o assunto. Quem de fato é você? Quais são suas habilidades? No que você é único? Qual é o seu maior diferencial? Você tem um jeito especial de lidar com as pessoas? De repente é a sua simpatia? Ou é bom em matemática? Raciocínio lógico? Em qual matéria você se dava melhor na escola, ou faculdade?

E claro, não esqueça de pensar nos seus defeitos. Afinal, ninguém é perfeito e seu entrevistador vai saber disso. E, provavelmente, ele vai querer saber o que não é o seu forte. Mas não se preocupe, o que o entrevistador realmente quer saber é: será que ele(a) tem consciência dos próprios defeitos? Será que tem inteligência emocional para admitir e aceitar críticas? O que será que está fazendo para evoluir naquilo que não é tão bom? Busque mostrar exatamente isso que a vaga é tua!

 

Mostre o que você já fez:

Uma parte muito importante da sua entrevista vai ser mostrar suas experiências. Pelo que você já passou, quais resultados teve lá e também tudo que aprendeu.

Caso você já tenha trabalhado antes, isso vai ser mais simples para você. Relembre quais foram as suas funções dentro daquela empresa e toda a experiência que adquiriu por onde passou. Se conseguir, lembre-se da sua evolução, dos desafios que teve e do que fez para conseguir superá-los. Pense em projetos que aconteceram graças a sua participação, e como você foi uma peça chave pra que eles acontecessem. Tente trazer os seus resultados em números, de uma maneira concreta. Por exemplo: fiz eventos para x mil pessoas; eu conseguia fechar x contratos todos os meses; consegui bater minhas metas todos os meses… E por aí vai.

Caso você ainda não tenha trabalho, você possui 3 possíveis estratégias: pode trazer trabalhos voluntários ou que fez durante a faculdade, pode mostrar projetos pessoais ou mostrar que está fazendo cursos e buscando se especializar.

Em todas essas estratégias, pense em mostrar aquilo que fez, o que aprendeu e qual é o seu propósito com cada uma dessas atividades. O que vale não é a grandiosidade do que você fez, mas o que aprendeu com tudo isso. 

 

Exercício: sente aí, pega um papel e uma caneta e comece a escrever sobre isso que eu comentei: quem sou eu? No que sou bom e me destaco? Onde já vi que preciso melhorar e o que estou fazendo em relação a isso? E também, pensa aí: quais foram todas as minhas experiências profissionais, mesmo que não remuneradas? Onde eu aprendi ou desenvolvi essas habilidades sobre as quais estamos falando?

 

2º parte: a empresa. 

Pesquise sobre ela:

É essencial você saber o máximo de informações possíveis sobre a empresa na qual você vai trabalhar. Há quanto tempo existe? Qual é a sua missão, visão e valores? Quais são seus produtos, diferenciais e etc. Você pode perceber que a maioria dessas informações você consegue buscar no site da empresa. Uma pesquisa geral no Google é interessante também, caso alguma notícia já tenha sido publicada sobre essa empresa. E também, é interessante olhar o LinkedIn da empresa. Ver quem trabalha lá, quais são suas funções, currículos e tudo mais. Isso pode te dar uma vantagem na hora de conversar com o entrevistador, às vezes já sabendo quem ele é.

 

Pesquise sobre o que você vai fazer lá:

O outro ponto muito importante é em relação a função que você vai exercer nessa empresa. Qual é o principal objetivo do seu cargo? As habilidades mais importantes pra ele? O que você tem de diferente que te ajudaria nessa função? No que você precisaria melhorar?

Uma pesquisa no Google e lendo alguns artigos sobre o assunto já podem te dar uma boa noção. Se tiver dúvidas sobre o cargo, não tenha medo de levar isso anotado e perguntar para o entrevistador. Isso vai mostrar interesse e pró-atividade da sua parte!

 

Exercício: tire um dia para pesquisar sobre a empresa na qual você vai trabalhar e não se esqueça de anotar, fazer um resumo ou algum esquema para te ajudar a lembrar tudo que aprendeu. E também, pesquise mais especificamente sobre o seu cargo. Leia o que especialistas falam sobre o assunto, pense em como você se adapta a função e o que precisaria evoluir pra ela.

 

3º Storytelling:

Crie a sua marca:

Já pensou no que é uma marca? Além da sua aparência visual (logotipo) uma marca é a reputação de uma empresa. É como ela escolhe ser vista e percebida no mercado. Você já pensou sobre isso em relação a você? Qual reputação você quer criar? Quer ser visto como uma pessoa comprometida e esforçada? Quer transparecer que a sua força de vontade é a sua maior arma? Ou você é o especialista? Que já leu muito sobre o assunto e procura se aprofundar no que faz?

Mas também tenha calma, você não precisa se definir como uma coisa só. Pode ter suas diferentes facetas. Apenas seria bom escolher, estrategicamente, o que vai destacar na hora da entrevista. Mas o primeiro passo é ter sinceridade. Pense um pouco sobre você e descubra: como as pessoas te veem? E como você quer ser visto?

 

Monte a sua história:

Esse é o momento principal da sua preparação. Aqui, você vai unir tudo que a gente já fez e discutiu nesse texto. É hora pensar numa linha do tempo pra sua história. Pensar no seu passado, pelo que você passou e que experiências teve: nessa parte, entram suas experiências profissionais, de vida e os principais acontecimentos do passado que moldaram quem você é. É preciso pensar no presente também, em quem você se tornou por conta dessas experiências, que habilidades desenvolveu e o que está procurando fazer agora. E por último, mas não menos importante, pensar nas suas perspectivas pro futuro. Pra onde você está caminhando? Onde pretende estar nos próximos anos da sua vida? E como quer chegar lá?

Pensando nessa história, você consegue amarrar os pontos da sua vida. Conectar ideias e guiar o entrevistador por uma linha de raciocínio. Mostra autoconsciência da sua parte, autoanálise e uma perspectiva madura em relação a vida. Também te ajuda a conseguir criar e melhorar a impressão que você quer passar sobre si. Não que você vai inventar algo. Mas pode pensar na melhor maneira de expressar sua história, com sentido, clareza e de um jeito mais envolvente e interessante.

 

Pra sua história funcionar bem, ela precisa das seguintes coisas:

Linha do tempo: ela precisa ter um começo, meio e fim. Pense nas etapas da sua história e como elas se conectam.

Contexto: tudo que aconteceu na sua vida, aconteceu em uma determinada época e em cada uma delas, você estava em meios ou com pessoas diferentes. Sempre deixe claro o contexto das situações em que você estava envolvido. Era profissional? Familiar? Era no primeiro emprego? A pessoa que te ajudou era sua chefe, amiga, colega de trabalho? Deixe claro quem está envolvido na história e porquê.

Resultado: tudo que você contar precisa levar a algum lugar. Pode ser um resultado concreto, como dinheiro ou metas. Pode ser satisfação pessoal por ter alcançado algum objetivo. Ou, pode ser um aprendizado, seja pelo sucesso ou fracasso. O importante é que se tenha uma “moral da história” bem definida.

Perspectiva: e nada nunca acaba definitivamente. Onde esse final te levou? No que você está pensando para o futuro? Mostre como sua história mudou sua perspectiva pro futuro.

 

Adaptação:

Um ponto de vital importância é: pense pra quem será a sua entrevista. Você vai apresentar pra alguém da área do marketing? Ou pra alguém do financeiro? Ou então, pro gestor ou gestora, donos da empresa? Pense em como adaptar a sua história pra cada situação, fazendo pequenos recortes. Por exemplo, se for pra alguém do marketing, você vai destacar as partes da sua história onde você mostrou ser mais inovador, comunicativo e criativo. Já pro financeiro, vai mostrar um pouco mais de organização, inteligência financeira e etc. Claro, sem deixar de mostrar suas outras habilidades, mas escolhendo melhor onde vai dar mais foco.

Outro tipo de adaptação é no tom da sua entrevista. Por exemplo, se você notar que o entrevistador é mais descontraído, solte-se mais, deixe sua história mais leve. Se o entrevistador for mais sério, contenha-se um pouco, seja claro e objetivo. Se adapte ao estilo dele ou dela. Claro, não exagere nem apele pra falsidade. Seja você, apenas com uma leve adaptação pro momento.

 

Exercício: hora de pôr a mão na massa. Pegue todas as experiências e habilidades que você escreveu anteriormente e as organize numa linha do tempo da sua vida. Quando foi que você viveu cada coisa? Onde cada experiência te levou? Onde você descobriu tal habilidade ou defeito? Conecte e dê ordem as coisas.

 

Dicas de ouro:

Tenha versões da sua história em diferentes tempos: uma mais rápida (30s – 1min) outra completa (5 min pra cima).

Ensaie (pode ser na frente do espelho, tem problema, não).

Conte sua história pras pessoas e peça feedback. Assim você já pode ir melhorando sua apresentação.

 

Treinamento de entrevista e currículo Gratuito! 

 

E gente, aqui na Qualycenter, a gente tem um treinamento totalmente gratuito de 4 aulas onde a gente aborda como fazer seu currículo, técnicas de entrevista, como se inscrever nas centrais de estágio e emprego de Cascavel e mais! Se quiser saber mais informações, é só clicar aqui!

 

Exemplo:

E como um bônus pra quem leu até aqui, lá vai eu me arriscar criando uma história pra vocês. É preciso dizer que essa história é fictícia, beleza? Mas já vai servir de exemplo.

“Bom, meu nome é Michele, nasci e cresci aqui em Cascavel, mesmo. Eu sou da periferia, então uma das minhas paixões sempre foi o Rap. Amava as letras e como os artistas retratavam a nossa realidade com rimas. Foi aí que surgiu minha paixão pela escrita, comecei a escrever e não parei mais. Até que no ensino médio uma professora minha disse que eu me daria muito bem em uma área criativa, como publicidade. Amei a ideia! Mas antes, precisava pensar em como passar no vestibular e pagar a faculdade. Então, comecei a trabalhar na oficina do meu tio na área comercial. Foi bem desafiador no começo, afinal, não conhecia nada sobre mecânica. Mas era muio comunicativa e atendia bem os clientes, então eles gostavam de mim. Logo comecei a perceber que o Whatsapp era uma ótima ferramenta de vendas e onde eu poderia usar minha boa escrita. Foi aí que comecei a me relacionar mais com os cliente por ali. Isso começou a dar certo e consegui fechar vários negócios pelo Whats, sem nem precisar ligar pros clientes. Isso deixou meus atendimentos mais rápidos e consegui aumentar as vendas do tio. Bom, enquanto isso, a noite eu fazia curso de redação na Qualycenter, pensando no vestibular. No fim do ano, consegui passar no vestibular e comecei o curso de publicidade! Logo depois, me chamaram lá na Qualycenter pra cuidar das mídias sociais: escrever os posts, o blog e eu topei na hora! Mas agora, quero começar a entrar em agências de publicidade pra ter mais desafio. Sinto que estou pronta pra mais. Quero em alguns anos ir pra Curitiba, ou até São Paulo, pra trabalhar em grandes agências. Mas gostaria de começar aqui, porque vi que vocês são muito bem conceituados e já ganharam prêmios na área de publicidade. Algo que eu também quero ter no meu currículo. Estou com muita vontade de aprender mais, e acredito que já provei pra mim mesma que posso enfrentar qualquer desafio.”  

 

Leia também: 

Técnicas de argumentação! Melhore seu discurso. 

Curso de Capacitação Profissional: o que é? Como funciona?  

Assistente de Contabilidade: o que faz? Como se tornar um?

 

COMPARTILHE ESSE POST