Publicado em: 14 de março de 2020

Pra você não ter mais dúvidas!

Gêneros Textuais

Esses dois tipos de texto, dissertativo e dissertativo-argumentativo, são diferentes gêneros textuais. Mas o que são esses tais gêneros textuais?

Bom, são tipos diferentes de texto com objetivos distintos e também com um jeito de escrever particular. Por exemplo, existem os gêneros argumentativos (como os dois que vamos discutir hoje), que tem como função mostrar argumentos, ou seja, informações, dados e opiniões sobre um assunto. Alguns gêneros podem querer informar o leitor. Outros, convencer, discutir ou até vender alguma coisa. Saber o objetivo de cada gênero é essencial pra escrever um bom texto.

Existem também, gêneros que não tem nada a ver com emitir uma opinião. São os gêneros com objetivos narrativos, como fábulas, contos e cartas. Só é bom tomar cuidado com algumas cartas, como o gênero “carta do leitor”, onde é preciso emitir uma opinião.

Texto dissertativo

Bom, mas vamos ao que interessa. Agora que você já entendeu a importância de entender os gêneros textuais, vamos para explicar e entender melhor esses dois que são muito cobrados nos vestibulares. São eles o dissertativo e o dissertativo-argumentativo.

Aqui vão algumas bases para você interpretar e entender qualquer tema. São elas: objetivo, matéria-prima e forma.

Objetivo

O texto dissertativo tem como objetivo informar o leitor. Alimentá-lo de informações para que o próprio leitor tire sua opinião sobre um determinado tema.

Nesse tipo de texto, não é para você, escritor, mostrar a sua opinião. Você é como se fosse um juiz, mostrando os fatos para que o juri tome sua decisão. Não é o seu papel influenciá-los, mas mostram bem todos os lados da discussão, tanto positivos quanto negativos, para que seu leitor esteja bem informado para tomar uma decisão.

Matéria-Prima

Beleza, mas o que eu vou usar para informar meu leitor?

Aqui vale todo tipo de informação que tenha uma sustentação e relevância. Por exemplo, a opinião de autoridades no assunto, teorias filosóficas, ou de outras áreas do conhecimento, como química, física, enfim. Fatos históricos são interessantes. Dados e pesquisas também valem!

Enfim, só não vale a opinião daquela sua tia (a não ser que ela seja perita no assunto), ou nesse caso, a sua mesma. 😉

Forma

A forma tem a ver com a estrutura do texto, como ele deve ser construído.

3ª pessoa: o texto não pode conter expressões em 1ª pessoa, como “eu penso”, “eu acredito”. Nem no singular “eu”, nem no plural “nós”. Mas sim, de maneira impessoal, como “acredita-se”, “pensa-se”. E também, não vale falar com o leitor. Como, por exemplo, eu faço aqui, falando com você (hehe).

Prosa: ou seja, tem parágrafos. Não versos, como um poema ou música. E sua estrutura precisa de no mínimo 3 parágrafos: introdução, desenvolvimento e conclusão.

Exemplo:

O efeito estufa tem como finalidade impedir que a Terra esfrie demais, pois se a Terra tivesse a temperatura muito baixa, certamente não teríamos tantas variedades de vida. Contudo, recentemente, estudos realizados por pesquisadores e cientistas, principalmente no século XX, têm indicado que as ações antrópicas (ações do homem) têm agravado esse processo por meio de emissão de gases na atmosfera, especialmente o CO2.

O dióxido de carbono (CO2) é produzido a partir da queima de combustíveis fósseis usados em veículos automotores movidos a gasolina e óleo diesel. Esse não é o único agente que contribui para emissão de gases, existem outros como as queimadas em florestas, pastagens e lavouras após a colheita.

Com o intenso crescimento da emissão de gases e também de poeira, a temperatura do ar tem um aumento de aproximadamente 2ºC em médio prazo. Caso não haja um retrocesso na emissão de gases, esse fenômeno ocasionará uma infinidade de modificações no espaço natural e, automaticamente, na vida do homem.

Análise

Observe só como o texto trás apenas informações. Fala da função do efeito estufa e então, apresenta a teoria de cientistas falando que a ação do homem influenciam nele.

Então, vem informações que ajudam a gente a entender do que ele está falando. Para ficar melhor ainda, só faltou apontar teorias de pessoas que tem uma opinião oposta, de que o homem não influencia no efeito estufa.

Texto dissertativo-argumentativo

Agora, qual a diferença entre esses dois gêneros? Bora entender!

Forma

Seria na forma? Eles teriam alguma diferença aqui? Nop. Os dois são feitos em parágrafos e precisam ter no mínimo três: introdução, desenvolvimento e conclusão. E os dois são feitos em 3ª pessoa do plural.

Matéria-prima

É aqui que está a diferença? Também não. Você vai precisar de informações, embasamento e argumentos para esse texto.

Objetivo

É aqui, meus caros, que está a diferença. Esse texto não tem como objetivo informar, mas convencer o leitor. E convencê-lo do que? Da sua opinião. A grande diferença desse gênero é que você vai usar toda a matéria-prima para sustentar e apoiar o seu lado na discussão. Vamos ver um exemplo:

Exemplo de texto dissertativo-argumentativo:

Na mitologia grega, Sísifo foi condenado por Zeus a rolar uma enorme pedra morro acima eternamente. Todos os dias, Sísifo atingia o topo do rochedo, contudo era vencido pela exaustão, assim a pedra retornava à base. Hodiernamente, esse mito assemelha-se à luta cotidiana dos deficientes auditivos brasileiros, os quais buscam ultrapassar as barreiras as quais os separam do direito à educação. Nesse contexto, não há dúvidas de que a formação educacional de surdos é um desafio no Brasil o qual ocorre, infelizmente, devido não só à negligência governamental, mas também ao preconceito da sociedade.

A Constituição cidadã de 1988 garante educação inclusiva de qualidade aos deficientes, todavia o Poder Executivo não efetiva esse direito. Consoante Aristóteles no livro “Ética a Nicômaco”, a política serve para garantir a felicidade dos cidadãos, logo se verifica que esse conceito encontra-se deturpado no Brasil à medida que a oferta não apenas da educação inclusiva, como também da preparação do número suficiente de professores especializados no cuidado com surdos não está presente em todo o território nacional, fazendo os direitos permanecerem no papel.

Análise:

Olha a opinião em negrito ali, gente. O autor do texto não só traz dados e referências como tira conclusões delas. Faz afirmações a respeito do tema. Isso deixa bem claro o que ele quer defender.

Qual desses cai no Enem?

No Enem, você vai precisar fazer o texto dissertativo-argumentativo. Precisa deixar bem claro qual é a sua opinião e no último parágrafo, não se esqueça, você precisa indicar uma solução pro problema em questão.

Se quiser mais dicas pra tirar 1000 na sua redação no Enem, é só ler nossos outros textos sobre o assunto como esse daqui!

Espero que a gente tenha te ajudado! Fique ligada e ligado aí no blog que toda semana tem mais dicas.

Leia também:

Técnicas de argumentação: para a redação e para a vida.
Como começar uma redação do ENEM?
PROUNI: como funciona e como participar?

COMPARTILHE ESSE POST