Publicado em: 1 de junho de 2020

Olá! Tudo certinho contigo? Espero que sim!

Hoje, vamos falar sobre o Artigo de Opinião, um dos gêneros textuais cobrados na Unioeste, uma das principais universidades públicas do Paraná.

Qual é a sua função? Principais características? E como eu faço o meu texto chamar a atenção da banca de corretores?

Bora discutir tudo isso!

Dar a sua opinião com gentileza é uma arte.

 

O que é um artigo de opinião?

Um artigo de opinião é um gênero jornalístico, encontrado em jornais, revistas e blogs. Ele tem duas características principais:

Expositivo: tem como objetivo esclarecer um determinado tema para o leitor, mostrar como uma coisa acontece na realidade.

Argumentativo: tem como objetivo defender um ponto de vista, convencer quem está lendo de que a sua opinião faz sentido.

Ou seja, em um artigo de opinião, você esclarece para o leitor como algo acontece de verdade. Por exemplo, como funciona a rotina de um vestibulando. Você pode falar sobre as horas de estudos necessárias e sobre a pressão na hora de fazer a prova. E, ao mesmo tempo, você precisa formular uma opinião a respeito deste assunto e defendê-la durante o texto. Como, por exemplo, uma preocupação com alimentação e exercício físico pode ajudar a render melhor nos estudos.

Agora, você pode estar se perguntando, qual a diferença entre um artigo de opinião, uma dissertação argumentativa e uma crônica argumentativa?

Dissertação Argumentativa: uma apresentação na escola.

A dissertação argumentativa pode ser comparada com uma apresentação de escola. Você também precisa explicar sobre um assunto e defender um posicionamento. Mas, na escola existem diversas regras e sua argumentação fica bem mais limitada.

A sua tese precisa vir no começo do texto, você tem um menor número de linhas, não pode usar gírias, nem ironia. É um texto mais quadradinho, vamos dizer assim.

 

Artigo de Opinião: uma palestra.

Neste texto, você está fora da escola. Pode criar as próprias regras e fazer um texto muito mais livre. Mas é bom lembrar, em uma palestra, o apresentador está bastante preocupado em te apresentar bons argumentos, em te convencer sobre eles e, também, em usar uma linguagem mais formal para te passar credibilidade.

Mas, ele não necessariamente precisa apresentar sua tese no começo do discurso. Pode ser irônico, ser mais enfático, tem mais liberdade textual e literária para trazer a sua argumentação.

 

Crônica Argumentativa: uma conversa de boteco.

Na crônica, o autor não tem a necessidade de te provar um ponto de vista. Ele pode simplesmente te fazer refletir, rir ou se entristecer falando sobre alguma coisa. É como numa conversa de bar. Nesse caso, você não para no meio do assunto e mostra um gráfico pro seu amigo sobre o tema que vocês estão discutindo. As coisas são mais informais e livres.

 

 

Qual é a função de um Artigo de Opinião?

A principal função de um artigo é levantar um debate sobre alguma questão pública. Pense no seguinte: quando eu quero formar minha opinião sobre um determinado assunto, o que eu faço? É comum você pedir a opinião de outras pessoas nas quais você confia para analisar, comparar e formar a sua. O Artigo é uma dessas fontes de opinião, onde você pode ver o ponto de vista de diferentes pessoas sobre um determinado assunto.

Qualquer um pode ser um articulista (quem escreve artigos de opinião). Inclusive você! O que te fará um bom articulista é a capacidade de convencer, chocar ou entreter o seu leitor. Ou seja, o artigo de opinião tem como objetivo mexer  com o leitor. Seja para incomodar, quanto para esclarecer. É um texto que não tem medo de dar a sua opinião.

Dessa forma, a gente pode dizer que um artigo de opinião gira em torno de dois assuntos principais: atualidades ou polêmicas. Ou vamos falar sobre algo que está sendo muito discutido nos dias de hoje, ou então, sobre algum assunto polêmico que volte e meia pode ressurgir. Como, por exemplo, aborto, eutanásia, legalização das drogas e diminuição da maioridade penal.

Portanto, é muito recomendável que você se mantenha informado e leia o máximo possível sobre os assuntos do momento. Aqui vai um texto nosso que te dá umas dicas sobre como se manter informado!

 

Organização e Características

Como eu disse antes, esse tipo de texto não tantas regras específicas. É recomendável que você faça ele na norma culta da língua e evite o uso de gírias. Mas, não é uma regra. É recomendável que você comece o texto apresentando o tema e também a sua opinião. Mas, isso também não é uma regra. Você pode usar ironia, exemplos, metáforas, analogias e dados para provar seu ponto de vista. Mas, novamente, não é uma regra. O número de parágrafos também não é delimitado.

A regra aqui é: busque convencer e prender o seu leitor na leitura do seu texto. Deixe a sua opinião clara e traga argumentos sólidos e válidos para sustentá-la. Busque ser enfático e não ficar em cima do muro. A não ser, é claro, que esse seja o seu ponto de vista.

 

Exemplo e análise

“A Academia dos Prêmios Nobel os concederá este ano mesmo em plena pandemia. O Nobel da Paz já foi outorgado a políticos que nem sempre o mereciam. Por que não dar um Nobel póstumo aos profissionais de saúde que vêm sendo vítimas em todo o mundo da tragédia do coronavírus?

Embora essas enfermeiras e enfermeiros peçam que não sejam vistos como heróis, pois seu trabalho seria sua obrigação, eles estão sendo vítimas em muitos casos da falta de equipamentos nos maltratados sistemas públicos de saúde, que, em muitas partes, como aqui no Brasil, foram saqueados criminalmente pela corrupção política.

Há um clamor mundial de empatia e gratidão por esses profissionais, muitos deles já aposentados e que decidiram voltar à linha de frente desta guerra de inimigos invisíveis. As pessoas os aplaudem, cantam para eles e se comovem com suas mortes. Eles, por sua vez, demonstram felicidade toda vez que conseguem salvar uma vida, mesmo que ao custo de pôr em risco a própria.

“Estou com medo, mas estou aqui”, disse uma das enfermeiras italianas, e que acabou perdendo a vida. É como um rio de generosidade por parte desse exército de trabalhadores anônimos que estão sendo protagonistas de uma nova onda de simpatia e admiração mundial. Cenas de sua vida acabam viralizando nas redes sociais, como a de uma enfermeira adormecida na frente de seu computador depois de dias ininterruptos de trabalho. Ou a daqueles –85% mulheres– se despedindo com aplausos no hospital de uma idosa de mais de cem anos que haviam conseguido arrancar da morte.

O mundo que aplaude e ama esses profissionais de saúde descobre que o coronavírus talvez esteja revelando, paradoxalmente, o melhor de nós mesmos. Enquanto enterrarmos os mortos, desenterramos virtudes que estavam adormecidas. Descobrimos uma capacidade de amar que acreditávamos ter perdido, ao mesmo tempo que nos descobrimos mais capazes de observar e apreciar o melhor dos outros.

O vírus pode estar nos curando de nossa frieza e da ganância de possuir, e de nosso esquecimento dos que sofrem dor e solidão. Poderia estar servindo para o reinício da vida com a força e a alegria do primeiro dia da criação e a consciência de que ou se vive de mãos dadas com as outras pessoas ou seremos vítimas da solidão que nos faz viver como mortos.”  

Texto de JUAN ARIAS – El País, link para o texto completo aqui: https://brasil.elpais.com/opiniao/2020-05-09/um-nobel-da-paz-postumo-para-os-profissionais-da-saude-vitimas-do-coronavirus.html

 

Exposição: repare com o autor traz uma elucidação sobre o tema. Mostra a realidade dos profissionais da saúde na sua batalha contra o corona vírus. Ele traz exemplos de situações vividas pelos médicos, vídeos que ficaram virais, traz uma fala de uma enfermeira e diversas situações que nos colocam a par da situação e do tremendo sacrifício dos profissionais de saúde.

 

Argumentação: olhe também, como a argumentação do autor vai se desenrolando ao decorrer do texto. Lá no começo, no primeiro parágrafo ele aponta: “O Nobel da Paz já foi outorgado a políticos que nem sempre o mereciam. Por que não dar um Nobel póstumo aos profissionais de saúde que vêm sendo vítimas em todo o mundo da tragédia do coronavírus?” Já indicando sua opinião sobre o assunto de maneira mais livre e inusitada: com uma pergunta.

Depois, após contextualizar a situação dos profissionais de saúde, ele traz as suas observações sobre o assunto: “Enquanto enterrarmos os mortos, desenterramos virtudes que estavam adormecidas.” É uma opinião muito enfática e colocada de maneira poética, também. Sem falar, que ela é uma opinião bastante autoral e traz uma visão bem particular, de otimismo e gratidão aos profissionais de saúde, algo que o artigo de opinião dá espaço também.

 

Espero que tenha ajudado! 

E aí? Deu pra entender melhor como funciona um artigo de opinião? Espero que sim! E também que você arrase nos vestibulares da Unioeste e outros que prestar.

Se precisar de mais uma ajudinha com a sua redação, estamos aqui! É só entrar em contato e saber mais sobre o nosso curso.

 

Leia também:  

O que pode ser tema da redação do ENEM após o Covid-19? 

Como fazer a introdução de uma dissertação-argumentativa? 

Aprenda o que são Soft Skills e porque você precisa tanto delas. 

COMPARTILHE ESSE POST